Tipos de produtos financeiros

Resultado de imagem para produtos financeiros

Tipos de produtos financeiros

Hoje, oferecemos um post para que analices que tipo de produtos financeiros-lhe convêm mais. Um estudo recente do Observatório Inverco, conclui-se que os investidores espanhóis querem retornos rápidos, mas são bastante conservadores na hora de investir. Como é o seu caso?
Três são os produtos financeiros básicos em que investem os espanhóis: planos de pensões, fundos de investimento e investimento em bolsa, sem a ajuda de intermediários.

Planos de pensões: um produto financeiro a longo prazo
A metade dos depositantes em Portugal conta com um plano de previdência, condicionados pela situação econômica atual e as baixas montantes da pensão pública.
Este tipo de produto financeiro, conta com vantagens fiscais, mas, para obter deduções, você tem que dedicar o máximo possível à contribuição declararás como rendimentos de trabalho quando se jubiles.
Em qualquer caso, antes de se lançar a investir suas economias em um plano de previdência individual, você deve considerar que:
Você não pode cobrar o seu plano de previdência até que você acesse a aposentadoria aos 65 anos de idade, geralmente) por supostos menos desejáveis como uma deficiência, uma doença grave dependência severa.
Você receberá uma baixa rentabilidade, inferior a 3 %, segundo a média de rentabilidade dos últimos dez anos.

Muitos especialistas concordam que estes produtos financeiros, como instrumento de poupança de longo prazo só são rentáveis para as rendas mais altas.

Imagem relacionada

Fundos de investimentos: rentabilidade baixa por risco baixo
Neste tipo de produto de investimento, a rentabilidade e a liquidez são as características mais valorizadas. De acordo com os dados de Inverco, é possível obter rentabilidade em menos de 3 anos. O problema é que essa rentabilidade é baixa.

Como lembrou José Antonio Madrigal na conferência Verdades escondidas em bolsa (Bolsalia 2014), citando um estudo de dois professores do IESE, em 15 anos, apenas 15% dos fundos de investimento tinham batido à inflação e de 2.600 fundos apenas 4 tinham sido capazes de superar 10 % anual.
Você está disposto a perder dinheiro investindo em um fundo para ficar igual que no princípio? Em breve, aprofundaremos mais em tudo o que há por trás deste produto financeiro.

Imagem relacionada

Investimento em bolsa: benefícios, sem intermediários
A rentabilidade, nesse caso, está ligada ao risco que está disposto a assumir. Investir na bolsa não é difícil, desde que considere que os benefícios ocorrem a longo prazo e saber controlar seus impulsos.
Como já recomendado outras vezes do blog Eurekers , o importante é ter uma metodologia para investir de forma lógica e ser muito racional para saber que decisão tomar em cada momento, sem se deixar levar pelo ego, nem as contínuas e informações que nos chegam de meios de comunicação, consultores financeiros investidores “míopes”.
O objetivo é não depender de ninguém para investir com sucesso e apoiar somente em nós mesmos e na tecnologia que temos ao nosso alcance para obtê-lo.

Um último conselho: se você decidir investir em bolsa e não tem conhecimentos prévios, escolha uma boa formação antes de participar ativamente no mundo da bolsa. Veja mais: estrategia para opções binarias.